sábado, 23 de fevereiro de 2013

Descanso em Deus!

Por sua vez, a essência da fé é a voz de Deus.A voz de Deus fortalece a alma produzindo segurança, certeza e fé. Enquanto a espera em Deus é um tempo de oração e busca, o descanso é onde aplacamos a fé. Não devemos permitir que a espera produza ansiedade, mas descanso.O grande segredo da espera é o descanso, onde a fé atinge a sua maior intensidade e pureza.
Descanso é quando você deixa de se ocupar e preocupar com oposições e conturbações da vida e passa a se sintonizar com aquilo que você é e pode em Cristo, de acordo com a verdade revelada de Deus para sua vida.Esse é o lugar de paz que nos faz prevalecer na guerra.
O descanso representa o escudo da fé "embraçado".Saímos do plano do esforço humano e passamos a contemplar e descansar na promessa de que "Deus trabalha para aqueles que nele esperam".

O descanso e o trabalho de Deus - o princípio do milagre

O descanso reside numa profunda identificação com o estilo de vida de Jesus: "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas."O descanso é um estilo de vida que precisa ser aprendido.Quanto mais aprendemos a descansar, mais energia economizamos e acumulamos.Descanso produz vitalidade!
Não apenas isso, mas, quanto mais descansamos, mais liberamos o poder de Deus ao nosso favor:

"Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalha a favor daquele que por ele espera"( Is 64:4).

Enquanto você trabalha, Deus descansa e, enquanto você confia, espera e descansa em Deus, Ele trabalha! O descanso não é uma atitude irresponsável e passiva, mas muito pelo contrário, é um exercício ativo de confiança! "Jesus lhes respondeu: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou"  (Jo 6:29). A obra que Deus espera de nós é a nossa fé que opera pelo descanso.

"Entrega teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará.E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu direito como meio-dia.Descansa no Senhor, e espera nele"  (Sl 37:5-7)

A espera se torna um jugo tremendamente suave quando entramos no descanso de Deus.O descanso expressa vitória interna sobre todo ambiente de stress, ansiedade, desespero, amargura, etc. Descanso não é passividade, é o resultado de um trabalho árduo de domínio próprio, que expressa nossa confiança no caráter de Deus.
Vamos entender algo que pode ser intrigante para muitos: porque Jesus realizava milagres no Sábado? Simplesmente porque Ele era a expressão máxima de descanso e da harmonia com a voz do Pai.Os milagres que Jesus realizava eram um resultado, não do seu trabalho, mas do seu descanso em Deus.Esse é o grande paradoxo do sábado.
Quando falamos de milagres, não estamos falando de suor humano, mas de descanso, confiança (Ser fiel com), fé, ousadia.Essa coisas, espiritualmente falando, traduzem um volume significativo de trabalho, mas, fisicamente, demonstram o repouso da alma e do organismo.
A lei do Sábado traz tantos benefícios para o ser humano que Jesus precisou confrontar a superficialidade dos legalistas dizendo:"o homem não foi feito para o sábado, mas o sábado para o homem".
Esse foi o famoso segredo espiritual de Hudson Taylor: "O meu trabalho é descansar em ti". O nosso trabalho é descansar em Deus, e o trabalho de Deus é realizar Sua Obra por meio daqueles que esperam e descansam nele. A grande marca do trabalho em parceria com Deus é o descanso.Isso reflete a poderosa Lei do Sábado em ação.
Não adianta guardar religiosamente um dia de folga, se convivermos a cada momento com ansiedade, amargura, medo e tantas outras formas de desgaste, que estafam a alma.Deus não se move pelo nosso estresse espiritual, pela nossa insônia, pelas noites de aflição e angústia.Ele trabalha para aqueles que esperam confiadamente, descansando nele.

O Descanso e a Autoridade: Dormindo na Tempestade

"Naquele dia, quando já era tarde, disse-lhes: Passemos para o outro lado.E eles deixando a multidão, o levaram consigo, assim com estava, no barco; e havia com ele também outros barcos.E se levantou grande tempestade de vento, e as ondas batiam dentro do barco, de modo que já se enchia.Ele, porém, estava na popa dormindo sobre a almofada; e despertaram-no, e lhe perguntaram: Mestre, não se te dá que pereçamos? E ele, levantando-se, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te e aquieta-te.E cessou o vento, e fez-se grande bonança.Então lhes perguntou: Porque sois assim tímidos? Ainda não tendes fé? Encheram-se de grande temor, e diziam uns aos outros: Quem, porventura, é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?" (Mc 4:35-41).

Antes de atravessar o mar da Galiléia com os seus discípulos, ele proferiu uma palavra bem clara: "passemos para o outro lado". Ele simplesmente assegurou que atravessariam.Sabemos que toda travessia espiritual pode envolver muitas provas.As dificuldades do caminho nos exercitam para as conquistas a serem feitas do outro lado para onde Deus está nos conduzindo.
Nessa situação específica, eles se confrontariam com o famoso "endemoniado gadareno"- um homem nas últimas instâncias da depressão.Talvez, nem ele mesmo compreendesse as  forças que o dominavam, tornando-o uma ameaça social fora de controle.Sentenciado ao isolamento, habitava no cemitério e era habitado por uma terrível legião de demônios.

"Chegaram então ao outro lado do mar, à terra dos gadarenos.E, logo que Jesus saíra do barco, lhe veio ao encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo, o qual tinha sua morada nos sepulcros; e nem ainda com cadeias podia alguém prendê-lo; porque, tendo muitas vezes preso em grilhões e cadeias, as cadeias foram por ele feitas em pedaços, e os grilhões em migalhas; e ninguém o podia domar; e sempre, de dia e de noite, andava pelos sepulcros e pelos montes, gritando, e ferindo-se com pedras" 
(Mc 5:1-5)

Finalmente, surge uma esperança para esse homem.Jesus estava disposto a romper as resistências e suportar a dura viagem até o destino de uma alma atormentada.Um conflito se trava no mundo espiritual.Uma tempestade incomum se forma na alma dos discípulos.Era tão natural quanto sobrenatural, abalando tanto o exterior quanto o interior dos discípulos.
Os demônios daquele lugar estavam tentando de todas as formas impedir a chegada da Igreja (Jesus e seus discípulos). Foi exatamente isso o que Jesus quis explicar acerca das resistências demoníacas: "edificarei a minha igreja, e as portas do hades não prevaleceram contra ela".
Jesus estava indo de encontro com o pior caso de depressão e loucura descrito na Bíblia.Um homem que simplesmente, vivia com mortos, ferindo-se constantemente, na tentativa de amenizar a agoniante dor que sentia na alma.
Fica claro, nesse episódio, que essa batalhas precisam ser ganhas antes, através do descanso. Antes dos demônios que assolavam a vida daquele homem se curvarem, sujeitando-se a Jesus, ele os derrotou na tempestade, pelo descanso.Sem que os discípulos percebessem, a batalha já havia começado. Jesus estava guerreando por meio do descanso.
Paulo revela: "O Deus de paz, em breve, esmagará debaixo de vossos pés a cabeça de Satanás (Rm 16:20)".O Príncipe da paz dormia durante a tempestade.Isso não é algo comum.Era intencional, significando o não supervalorizar as circunstâncias contrárias, a intimidação do diabo, as intrigas da oposição, as palavras de desestímulo, não dando, assim a menor chance ao medo e à ansiedade.
A atitude proposital de descansar demonstrava que Jesus podia compreender a sua causa principal do quadro daquele homem.Sua vida era uma verdadeira agonia.Sua alma estava assolada pela rejeição e agressividade.Suas forças para reagir às circunstâncias que provocaram todo aquele distúrbio haviam exaurido. Um homem vencido e fatigado, totalmente entregue às forças ocultas que intencionavam destruí-lo.
Estou mencionando esse episódio para enfatizar o contexto da travessia. Não seria uma viagem fácil, e, creio eu, Jesus sabia muito bem disso.Então, Ele assegurou que chegariam ao outro lado. Tudo o que os discípulos precisavam fazer era se "agarrarem" a essas palavras.Depois disso, Jesus dormiu profundamente.Mesmo quando a tempestade veio, Ele não se incomodou! Estava plenamente seguro. Não se impressionava e, muito menos, intimidava-se com a cara feia dos principados demoníacos.Descansava plenamente no poder de Deus.
Ele, então, foi despertado pelos discípulos, sendo indiretamente taxado de insensível: "Mestre, não se te dá que pereçamos?" Isso realmente sugere que ele estava ciente da situação.Já estava acordado, mas sua alma, mas, sua alma repousava.Seus discípulos interpretaram suas atitudes como sendo de indiferença.Talvez alguém tenha cogitado: " Que pastor desnaturado!"Nada disso!Jesus estava ensinando uma das mais poderosas lições aos Seus discípulos: "aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrarei descanso para vossas almas".
Para uma lição como essa, a sala de aula precisa ser uma tempestade.Jesus descansava totalmente no meio da tormenta.O Príncipe da Paz estava perfeitamente seguro no meio da mais atemorizante situação, enquanto o barquinho era açoitado pelos ventos e pala fúria do mar.
Abordado pelos discípulos, depois de confrontar a incredulidade deles, Jesus resolve a situação, externalizando através de poucas palavras, toda paz e todo descanso que Ele saboreava na alma: "Cala-te, aquieta-te".Jesus colocou para fora tudo que estava dentro de si mesmo.Então, imediatamente algo sobrenatural de Deus: " E cessou o vento, e fez-se grande bonança".
O descanso interno subjugou o estresse externo.Uma tremenda colisão com o mundo espiritual que estava sobre o endemoniado de Gadara.Nesse momento, Jesus afogou-se aquela legião de demônios que pediram para entrar nos porcos (Mc 5:10-13).Satanás e suas obras foram naufragados.
Isso deixou os discípulos atônitos:

"Encheram-se de grande temor, e diziam uns aos outros: Quem, porventura, é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?"

Esse é o poder do descanso! O desespero e a revolta pecam fortemente contra o princípio da autoridade.Perturbação interna, gera perturbação externa.Desespero produz anarquia e histerismo.O que aconteceria se algum de nós externássemos o que realmente está dentro de nós? Talvez, estourasse a terceira guerra mundial!
Descanso demonstra domínio próprio, do qual emana a legítima autoridade. O efeito do descanso é a fé que tudo pode. O descanso é uma bomba de paz que vai causar uma explosão de domínio e segurança em meio as mais terríveis adversidades.Transforma o ambiente.É o Deus de paz esmagando, debaixo de nossos pés, o diabo e seus ataques.
Depois de libertar aquele homem e tirá-lo da crise depressiva, Jesus não deixou de lidar com as raízes do problema do seu "paciente" . Agora , com um novo sentido de vida, aspirando acompanhar Jesus, foi impedido.Era necessário obedecer a receita certa: "Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes o quanto o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti" (Mc 5:19).
Jesus o direcionou a enfrentar uma indispensável reconciliação com sua família, com o intuito de restaurar as culpas, ressentimentos e desonras, redimindo iniquidades de caráter pessoal, familiar, territorial e geracional.
Dessa forma, sua paz seria reconquistada. Não estaria mais vulnerável.Isto colocaria um ponto final na exploração demoníaca que sustentava seu distúrbio depressivo.







Amém.Que Deus abençoe!











Um comentário:

  1. Gostei muito do que vi !
    Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...

    http://bolgdoano.blogspot.com.br/

    Agradeço desde já !

    ResponderExcluir